Uma questão de escolha

Uma questão de escolha

Os textos que seguem mostram como a mesma história, com ações diferentes, mudam drasticamente a vida dos personagens.

Texto I

Duas rãs brincavam distraidamente e saltitavam dentro de um curral. De repente, num desses saltos, caíram ambas num latão cheio de leite. As bordas do latão eram lisas e altas.

Não havia a menor possibilidade de saírem dali mergulhadas no líquido, não havia como impulsionar o corpo e saltar para fora. Ao perceber que sua amiga estava quase se afogando, a primeira rã disse:

– Não esmoreça, continue batendo os braços, mantenha-se flutuando.

– Não adianta, respondeu a outra, estou exausta. E de que adianta manter-me flutuando se não existe nenhuma maneira de sair daqui.

– Não desista. Mantenha a calma e lute. Enquanto há vida, há esperança, continue batendo os braços com toda força.

– Não vale a pena, estou me cansando e não consigo ver como podemos nos salvar.

Dito isso, parou de se debater, afundou e morreu afogada.

– Não posso desistir, disse a primeira, deve haver uma saída; vou continuar me debatendo, tenho que me manter viva. Debateu-se a noite inteira, e debateu-se tanto dentro do leite que este acabou virando manteiga.

Agora sim. Apoiada sobre uma base sólida bastou descansar um pouquinho, tomar impulso para fora do latão e recomeçar sua vida.

Texto II

Duas rãs caíram dentro de uma jarra de leite. Uma era grande e forte, mas impaciente, e confiando na sua forma física, lutou a noite inteira, debatendo-se para escapar. A outra rã era pequena e frágil. Como sabia que não teria energia para lutar contra seu destino, resolveu entregar-se. Com suas patas, fez apenas os movimentos necessários para manter-se na superfície, sabendo que cedo ou tarde iria morrer.

“Quando não se pode fazer nada, nada se deve fazer” pensava ela.

E assim as duas passaram a noite – uma na tentativa desesperada de salvar-se, a outra aceitando com tranquilidade à idéia da morte. Exausta com o esforço, a rã maior não aguentou e morreu afogada. A outra rã conseguiu boiar a noite inteira – e quando, na manhã seguinte, resolveu entregar-se, reparou que os movimentos de sua companheira haviam transformado o leite em manteiga. Tudo o que teve de fazer foi pular para fora da jarra.

Conclusão

A vida é assim mesmo, não existe o caminho certo a seguir, cada situação exige uma analise e uma ação diferente. Não existe a história certa ou a errada; o que observamos é que na vida tudo é uma questão de perseverança; os problemas são os mesmos, cada um de nós tem uma maneira diferente de enfrentá-los e essa maneira é que vai determinar o sucesso ou fracasso e, em certas horas, a paciência, por mais difícil que seja , é a única maneira de suportar alguns problemas.

O importante na vida é não engolir sapos e assumir as próprias atitudes.

Fonte: contandohistorias.com.br e colunas.g1.com.br/paulocoelho

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: