Em que círculo você está?

Em que círculo você está?

Jerônimo Mendes

A música de encerramento do Fantástico é uma das mais odiadas pelas pessoas certas nos lugares errados. Quando aquele tradicional “boa-noite” dos apresentadores termina, o dilema de alguns trabalhadores começa. O dia seguinte é a segunda-feira e muita gente cansa só de olhar para o relógio e imaginar que ainda falta uma semana para o próximo fim-de-semana.

Por outro lado, quando o programa termina, uma boa parte das pessoas se anima, pois sabe que no outro dia irá levantar cedo para começar mais uma semana de esforço e criatividade; uma casta considerável de pessoas que tem a feliz oportunidade de colocar toda sua inteligência a serviço da humanidade.

Depois de ler esse artigo, todos os dias de manhã, quando se dirigir ao trabalho, você vai lembrar-se das minhas palavras. Se você é uma daquelas pessoas que levanta cedo na segunda-feira, ou todos os dias, pensando na sexta, há uma grande chance de você estar no lugar errado.

Não há como ser feliz no trabalho quando você fica o dia todo pensando na hora de ir embora, sinal de que a sua atividade, a empresa que você escolheu e o salário que você recebe não compensam a sua dedicação e inteligência. Isso é motivo suficiente para você reavaliar profundamente a possibilidade de mudança.

Eu rezo todos os dias de manhã para evitar ter que me dirigir ao lugar errado. Penso sempre que minha família é única, meu trabalho é gratificante, a empresa é a melhor que existe e as pessoas que trabalham comigo são profissionais de alto nível, os melhores que conheço. Ainda que isso não possa ser comprovado, por experiência própria, posso garantir que o estado de espírito diminui a ansiedade e amplia o sentido de realização.

Parte do sofrimento pode ser explicada pela nossa maneira de encarar a vida. Imaginar que existe um ambiente de trabalho onde não há discórdia, os chefes são sempre bonzinhos, a pressão não existe e os colegas de trabalho querem somente o seu bem é pura utopia. Portanto, o melhor a fazer é trabalhar sua maneira de conviver com as incertezas e as diferenças que fazem parte da vida pessoal e profissional.

O pensamento de Stephen R. Covey, autor de “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, é pertinente ao assunto. Diz respeito aos Círculos de Influência e aos Círculos de Preocupação. Uma das formas de se determinar em que círculo nossa preocupação se encontra é distinguir entre o ter e o ser.

O Círculo de Preocupação vive cheio de ter: ter uma casa, um carro, uma vida melhor, mais dinheiro, um diploma, mais tempo, aprovação das pessoas ao seu redor etc. Por outro lado, o Círculo de Influência está cheio de ser: ser feliz, ser mais amigo, ser mais paciente, ser mais tolerante, ser mais aberto a novas idéias, ser mais receptivo e assim por diante. No primeiro círculo, o foco dirige-se para a ambição; no segundo, para o caráter.

O foco de atenção faz muita diferença na sua vida, pois quanto maior a preocupação com o ter, menor a qualidade do ser. Já pensou em quantas coisas sem as quais você pode viver tranquilamente? Isso é o que se pode chamar de supérfluo, coisas que entram na sua vida quando você menos pode ou precisa.

Da mesma forma que o Círculo de Preocupação e o Círculo de Influência atuam na sua vida pessoal, atuam também na vida profissional; considerando que somos criaturas indissociáveis, portanto, nossa ambição e nosso caráter estão em permanente conflito.

Por esse motivo a mente humana não pára e ao mesmo tempo em que recebemos um sinal de desaprovação por um comportamento equivocado, ou um delito qualquer, recebemos outro que nos conforta temporariamente do tipo “se todo mundo faz por que eu não posso fazer?”. E assim levamos a vida imaginando que um bem posterior pode compensar o mal anterior de alguma forma.

No trabalho agimos da mesma forma. Nossa preocupação concentra-se no ter e pouco no ser. Quer alguns exemplos? Quantas vezes você já pensou em ganhar a Mega Sena para pedir “a conta”, sumir do mapa e curtir a vida longe de tudo e de todos? Quantas vezes você intercedeu a favor de um colega que estava prestes a ser demitido injustamente? Quantas vezes você defendeu colega de trabalho diante do chefe?

De maneira geral, o pensamento dominante resume-se a “prefiro manter o emprego a ser a próxima vítima” ou “quando eu tiver dinheiro, eu ajudo”. Nessa hora entra em cena o ser humano comum, frágil, sujeito à escravidão da falsa segurança dos empregos formais que não permite bom-senso nem senso de justiça. O que vale mesmo é aquele velho recurso do passado: “salve-se quem puder”.

Quando o foco de atenção está concentrado basicamente no Círculo de Preocupação, o crescimento interior fica estagnado. Quando está concentrado muito mais no Círculo de Influência significa que a mente possui a maturidade necessária para agir prioritariamente com razão e discernimento diante dos dilemas, portanto, o pensamento flui e o crescimento não pára.

Ter dinheiro para conseguir mais tempo de fazer algo por si mesmo. Ter uma bela casa para manter a união familiar. Ter um belo carro para fazer mais amigos. Ter um cargo de alto nível para obter o respeito do grupo. Ter vários cartões de crédito para impressionar os amigos. Sinceramente, não desejo isso a ninguém. Seria muita pobreza de espírito.

Para resgatar a importância do Círculo de Influência na sua vida você deve refletir profundamente sobre os acontecimentos ao seu redor. Pensar que o trabalho é um martírio e a demissão é questão de tempo soa insegurança e imaturidade, um verdadeiro desperdício de energia vital. Há muito tempo eu adotei o Círculo de Influência como determinante na minha história para não viver exclusivamente preocupado em ser aquilo que a minha natureza não permite.

Quando o próximo fim-de-semana chegar ao fim e a música do Fantástico soar novamente ao seu ouvido, pense na segunda-feira como uma nova etapa da sua vida. Eu faço esse exercício toda segunda-feira pela manhã e penso que a semana que inicia será sempre melhor que a anterior. Penso positivo e não alimento falsas expectativas, porque conheço minhas limitações e as limitações do universo ao meu redor.

As palavras de Kemmons Wilson, empresário, encerram a nossa lição de hoje: “uma pessoa bem-sucedida reconhece sua responsabilidade em termos de automotivação. Tudo depende dela porque somente ela possui a chave da sua própria ignição.” O Círculo de Preocupação reflete a expectativa dos outros em relação à sua pessoa. O Círculo de Influência reflete basicamente o seu caráter. Em que círculo você se encontra nesse exato momento? Pense nisso e seja feliz.

Fonte: RH.com.br
Imagem: Google

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: