Seguro contra o amanhã

Seguro contra o amanhã

Seguro contra o amanhã

Evaldo Costa

Você tem seguro contra o amanhã? Os benefícios dele serão compensadores? Quando você o usufruirá? A grande maioria das pessoas que conheço tem muita preocupação com futuro, mas poucos são os que fazem algo eficaz torná-lo memorável. Conheço uma dúzia delas que se diziam preocupadas com a aposentadoria, mas viviam segundo o lema “deixa a vida me levar, vida leva eu…”.

Infelizmente, nem todas elas conseguiram a tranquilidade tão almejada. Uma que pensava acumular dinheiro e acumulou uma grande fortuna, esqueceu-se da saúde e agora está deixando tudo nos hospitais e farmácias. Um outro, um pouco mais vaidoso, preocupava-se com o sucesso pessoal e está sempre em evidência na mídia, esqueceu-se dos filhos e agora está às voltas com uma família desestruturada. Um terceiro teve uma vida boêmia e agora vive com muitas dificuldades e sofre abandono até dos filhos.

Mas, afinal de contas, se é certo que a velhice vai chegar, como prevenir para viver feliz a última etapa da vida? Não creio existir receita de bolo, no entanto, penso que o primeiro passo é admitir que a vida do idoso pode ser melhor do que a juventude. A segunda é que tudo depende das escolhas que você fizer agora e a terceira é criar planos e agir para viver sempre melhor.

Alguns anos atrás, eu dava aula na graduação do curso de Administração de Empresas em uma importante universidade carioca. Havia mais de 60 alunos na turma, a grande maioria jovem. Porém, na primeira fila sentava-se um senhor de 68 anos, chamado Isidoro. Depois de tantos anos não consigo me lembrar de seu sobrenome, mas não poderia esquecer o que ele disse a um colega de turma que tinha idade para ser seu neto.

O Sr. Isidoro nunca faltou uma única aula e chegava sempre cedo na classe. Eu costumava chegar em sala uns 15 minutos antes, para colocar na lousa os principais tópicos a serem evidenciados e ele já ocupava o seu lugar na primeira fila. Como era muito simpático e interessado eu sempre permitia que ele preenchesse a pauta. Ele gostava tanto dessa atividade que nem esperava eu pedir, ia direto em minha mesa, apanhava a pasta e tão logo esgotasse as explanações ele fazia a chamada e registrava tudo com enorme interesse e seriedade.

Nos dias de entrega de prova, a primeira parte da aula era destinada à revisão e resolução das questões aplicadas. Numa dessas ocasiões, enquanto eu atendia alguns pedidos de revisão, ouvi o seguinte diálogo entre um jovem e o Sr. Isidoro:

Jovem: “O que o Sr. está fazendo aqui. O senhor está aposentado e com situação financeira confortável. Só anda de carro do ano. O que mais querer da vida Sr. Isidoro?”.

Sr. Isidoro: “Filho, eu tenho 68 anos. Se eu viver até os 88, terei 20 anos pela frente, você acha que vou ficar todo esse tempo estacionado no sofá de minha sala?”

O Sr. Isidoro provavelmente sabia que o nosso futuro está em nossas mãos. Sabia o quanto é importante ter planos e persegui-los para conquistar o que mais desejamos. Eu não acompanhei o restante da conversa, mas ficaria feliz se o Sr. Isidoro dissesse a ele que muita gente de destaque conseguiu as suas maiores conquistas no último terço de suas vidas. Foi assim com Michelangelo, que aos 66 anos começou a sua memorável obra de arte no teto da basílica de São Pedro; Mahatma Gandhi, que começou a liderar o movimento de independência da índia, aos 72 anos; Mário Quintana, que recebeu o prêmio – Machado de Assis da ABL – certamente o mais importante de sua carreira, aos 76 anos; Agatha Christie que morreu na casa dos 80 anos escrevendo novelas; Winston Churchill, que se tornou primeiro-ministro do Reino Unido, aos 66 anos; Abrahan Lincoln que se tornou presidente dos Estados Unidos aos 52 anos e entre tantos outros.

Talvez, o grande segredo seja viver abundantemente e produtivamente cada dia de nossa vida, buscando a felicidade em cada ato, de forma a ficar mais velho sem jamais envelhecer. De uma coisa podemos ter certeza, o seguro que tanto necessitamos para garantir uma vida inteira de felicidade já existe no interior de cada um de nós. Se decidirmos que vamos ser felizes ao envelhecer e agirmos nessa direção, seremos. Porém se acreditarmos que a nossa vida depois da aposentadoria será pior, ela, fatalmente, será. E quanto a você: está em dia com a sua apólice de seguro contra o amanhã?

Fonte: RH – O site de referência sobre Gestão de Pessoas
Imagem: Photobucket by RobertodeAraújoCorreia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: