Saiba como se desligar do trabalho durante as férias

Saiba como se desligar do trabalho durante as férias

O verão está chegando e isso significa férias para muitos. Mas nem todos conseguem relaxar na praia, piscina ou onde quer que estejam. O motivo? Não se desligam do trabalho. Lembram de algum problema que deixaram no escritório, ficam preocupados se os colegas estão dando conta das suas atividades, checam os e-mails sem parar.

Ter um período de descanso sem descanso realmente não faz o mínimo sentido. De acordo com o psicólogo e consultor organizacional Felipe Pierry, os resultados são estresse, problemas de saúde e baixo rendimento, o que pode se voltar contra o funcionário em uma eventual avaliação, diminuindo as chances até de uma promoção e aumento de salário.

Além do fato de se ausentar da empresa mantendo o pensamento nela, há o problema do medo das férias. O gerente de atendimento da Catho Online, Lucio Tezotto, disse que uma pesquisa realizada no Brasil pela International Stress Management Association apontou que 38% dos profissionais, independentemente do cargo que ocupam, enfrentam esse obstáculo.

“O principal fator é o medo de serem substituídos quando voltarem. Em seguida, há o medo de que as coisas saiam pior que o esperado enquanto estiverem ausentes ou até simplesmente estão tão viciados no trabalho que ficam nervosos pelo fato de saírem da rotina.” Apesar disso, Tezotto disse que nenhum levantamento indica que o período longe da empresa aumenta ou diminui as chances de ser demitido.

Um estudo realizado pela Catho Online entre os meses de março e abril no ano de 2009 indicou que 33% das pessoas tiveram menos de uma semana de descanso. A baixa taxa pode ser explicada por troca de emprego ou desemprego. “Profissionais que foram afetados pela crise, que ficaram meses desempregados, nem pensaram em parar de trabalhar nos meses seguintes.”

Férias

As férias são necessárias e garantidas por lei. Podem ser tiradas por 30 ou 20 dias (no último caso, quando se adere ao abono pecuniário, que é a venda de 10 dias).

Muito mais que o tempo que duram, a qualidade delas é fundamental. Aliás, conseguir se concentrar apenas no lazer aos fins de semana e feriados prolongados também colabora com o trabalhador. Por isso, confira abaixo oito dicas, listadas por Pierry e Tezotto, para conseguir ficar longe das atividades remuneradas por um período e, ainda, sem pensar no trabalho:

1) Organize-se antes de sair de férias

Deixar pendências é um dos motivos que mantém as pessoas ligadas ao emprego durante as merecidas férias. Vira-e-mexe acabam se lembrando das situações não resolvidas e questionando se os colegas conseguiram solucioná-las. É aí que o a consciência pesa e o descanso vai por água abaixo. Portanto, nada melhor do que se organizar antes de fugir da rotina.

Organização provavelmente também é a palavra-chave de casos de funcionários que trabalham por anos em uma empresa e não conseguem tirar férias porque vivem atolados de serviço. Uma possibilidade é que não fazem um bom planejamento das atividades. Por outro lado, a empresa pode ter sua parcela de culpa, caso apresente um quadro de funcionários menor do que o necessário. “Se tem certeza de que o problema é esse, é importante negociar com um superior”, afirmou Pierry.

2) Confie em sua equipe e colegas de trabalho

Se você é daqueles que acreditam que a empresa não vai sobreviver às suas férias, é um mau sinal. Tenha em mente que ninguém é insubstituível, mas isso também não significa que vai ser demitido pelo fato de outro conseguir cumprir suas tarefas enquanto curte a folga.

“O pior funcionário é o que veste a camisa da empresa. Geralmente, nunca tira férias ou emenda um feriado e larga a mão da família em função da empresa. Achar que é imprescindível pode ser uma estratégia para se sentir necessário. Só que acaba prejudicando a empresa, porque o rendimento cai por conta do cansaço”, disse o psicólogo. “O bom funcionário é o que sabe distribuir tarefas, fazer com que os outros participem e conheçam o que e como faz.”

Portanto, usufrua, sim, dos seus direitos. E nem pense em adiantar trabalho, deixando o correspondente ao tempo de folga pronto, hein?

3) Deixe seu chefe ciente das pessoas responsáveis por suas atividades

Ok, conseguiu repartir as tarefas. E agora, que providência tomar? O próximo passo é dizer ao seu chefe o nome das pessoas responsáveis por seu trabalho enquanto estiver fora da empresa. Assim, já sabe de quem cobrar os resultados.

4) Planeje as férias

Uma ou duas semanas antes de dar “tchau” às obrigações, prepare sua cabeça para as férias. Se vai à praia, por exemplo, comece a imaginar que o tempo vai estar bom, quais passeios pretende fazer. Essa situação fantasiada de relaxamento ajuda a se desvincular do estresse rotineiro, principalmente porque pode se tornar realidade em breve. Só tome cuidado para não sonhar acordado durante o expediente e acabar deixando de lado o trabalho que ainda tem de fazer.

5) Se não sente que o momento é para férias, renegocie-as

Ficar de férias pensando no escritório realmente não é algo agradável. Caso a empresa esteja prestes a fechar um grande negócio ou tenha acabado de receber uma nova função, é bem provável que não consiga se desligar por conta da demanda de trabalho. Aí não tem jeito. O melhor é negociar a folga para um período mais tranquilo para você e a firma.

6) Saia do ambiente do dia a dia

Caso seja possível e viável a seu bolso, viaje. Não precisa ser para lugares distantes e nem por um período muito longo. Poucos dias já ajudam a esquecer a rotina para lá de estressante.

Agora, quem está com uma boa reserva no banco pode unir o útil ao agradável. Por exemplo, o profissional que passou o ano cursando espanhol tem a oportunidade de visitar um país com esse idioma e praticá-lo. Melhora a pronúncia, além de aumentar a bagagem cultural. O currículo agradece.

7) Desconecte-se

Internet e celular são uma mão na roda durante o dia a dia, mas nas férias podem significar vínculo constante com o trabalho. Venhamos e convenhamos que qualquer espiadinha nos e-mails tende a aumentar as chances de trazer as preocupações do trabalho para sua vida de sossego temporário. A dica é desconectar-se, por mais difícil que possa parecer. Vale até trocar o chip do celular e só passar o novo número a familiares, apenas para casos de urgência, é claro.

Pierry já teve problemas nesse quesito. Há dois anos, conta constantemente com a companhia do laptop durante as viagens que faz para dar cursos em outros Estados, mas que ainda possibilitam períodos de folga e passeio. “Percebi há um mês que perdia tempo checando e-mails. A coisa era automática e eu nem tinha consciência. Na próxima vez, não vou levá-lo, com certeza.”

Donos de empresas ou funcionários com cargos elevados, como diretores, também têm direito de se desligar completamente. Organizar bem a equipe e eliminar pendências são medidas que auxiliam nessa questão. “Quem optar por continuar vendo e-mails e deixar o telefone corporativo ligado está sujeito a contratempos e situações inesperadas. Não é proibido e cada um tem sua visão sobre o assunto, mas esse profissional tem de estar consciente de sua decisão, a de ter de trabalhar nas férias”, afirmou Tezotto.

8) Conviva com pessoas de fora do ambiente de trabalho

É quase impossível sair com colegas de trabalho e o assunto não cair sempre em algo relacionado à empresa. Isso não significa que deve recusar todos os convites que fizerem com o intuito de não se estressar. Mas que tal investir também em outras companhias, com temas de conversa diferentes? É uma ajuda e tanto.

Fonte: Tudo na Hora
Imagem: Los Angeles Times

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: